< VOLTAR
Causas Sociais, Destaque, Devaneios

A mundana que reside em mim

12 de maio de 2017
access_time 1 minutos

Puta, meretriz, vadia, entre tantos outros belos adjetivos
Como são lindos, não?
Por que o repúdio?
Por que o famigerado estigma?
Porque não marginalizar, abominar quem recorre ao seu trabalho?
Por que a enorme aversão?
Por que todo o ódio?
Toda a exclusão
Toda a discriminação
Por que? Por que? Quantos porquês
Talvez a resposta seja muito simples
Talvez seja porque você quer ser a tal da puta
Porque eu posso querer ser a meretriz. Ela pode morar em mim
Você queria satisfazer-se como se satisfaz com a vadia
Por que não a reconhece?
Por que a maltrata?
Ela enaltece o gozo
Ela provoca. Ela excita.
Você, com toda a ausência de integração, tornou-a assim
Ela pode ter sido obrigada à isso
É mais cômodo olhar por esse prisma
Dessa forma é mais compreensível
Mas a vida delas é um espectro
Mas há esse enorme mas
Ela pode ter tido vontade de ser
Ela é puta
Puta com muito orgulho
Muito desejo. Muito amor.
Ela é ela
Puta. Vadia. Meretriz
Mas ela é mulher. Ela é viva
Ela é prazer
Ela é você reprimida
Ela é a mundana que reside em nós

Continue lendo